Texto

Feminismos bastardos. Feminismos Tardios

Enviado por aarquivista, qua, 2019-01-02 00:48


Porto Alegre

Texto integrante do livro

ESCOVAR A HISTÓRIA A CONTRAPELO
[orgs. Kamilla Nunes e Aline Natureza]

|| ensaios textuais e visuais escritos/criados durante o período eleitoral e pós-eleitoral, entre os dias 29 de agosto e 10 de novembro de 2018 ||

baixe em: www.culturaebarbarie.com.br

“A história que a história não conta” – diz o samba-enredo da Mangueira para o carnaval de 2019. Mas que carnaval? Qual alegoria? A “tradição dos oprimidos nos ensina que o ‘estado de exceção’ em que vivemos é na verdade regra geral. É preciso construir um conceito de história que corresponda a essa verdade. Nesse momento, perceberemos que nossa tarefa é originar um verdadeiro estado de exceção; com isso, nossa posição ficará mais forte na luta contra o fascismo”, disse Walter Benjamin nas suas teses sobre o conceito de história, e escovar a história a contrapelo foi a forma encontrada de não sucumbir à raiva, à desesperança, ao medo. O esforço foi o de reunir vozes, por vezes dissonantes, já que nem os mortos estarão em segurança se o inimigo vencer.

Do samba da Estação Primeira a Benjamin, o cercar-se de vozes que temem ser caladas. Se eles querem varrer nossa existência para baixo do tapete da história, o que propomos é varrer esse tapete a contrapelo, sacudir toda a poeira, até que eles se ,engasg,uem. Os processos coletivos são catalizadores, como um silêncio-nuvem de marimbondo, um zumbido crescente capaz de fazer eclodir infinitas possibilidades de chamas e insurgências.

Autores:
Caroline S. Schroeder . ERRO Grupo . Patrícia Galelli . Fabio Morais . Veronica Stigger . Ricardo Corona . Pablo Paniagua . Bruno Kurru . Raquel Stolf . Marcos Gorgatti . Roberto Freitas . Talita Trizoli . Regina Melim . Sandra Meyer . Daniela Castro . Luciana Moraes . Mônica Hoff . André Vallias . Marcela Tibonni . Priscila C. Oliveira . Lais Myrrha . Rafael Campos Rocha . Raúl Antelo . Debora Pazetto . Volmir Cordeiro . Janyne Sattler . @laranja108 . Renata Carvalho . Maurício Magagnin . Priscilla Menezes . Julia Amaral Lourival Cuquinha . Clarissa Alcantara . Kerexu Yxapyry / Eliton Felipe Souza . 28 / Sandra Alves . Sérgio Adriano H .Tenille & Letícia & Rafael / Luiz Antonio Simas . Lahayda . Paulo Miyada . Teresa Siewerdt . Daniela Labra . Fabrícia Jordão . Luiza Baldan . Bianca Tomaselli . #cóleraealegria

 

{da introdução}

"Eu sou a puta que pariu.
Eu sou a puta aborteira que pariu e que sabe muito bem cuidar, e também negar cuidado.
Eu sou a puta que pariu corpos livres.
E como aprendi com Ni Una Menos da Argentina. Eles são os filhos doentes do patriarcado. Mal paridos pelo patriarcado.

Imagine que este texto seja uma colagem. De muitas vozes e muitas vidas. Algumas subsumidas, algumas achatadas. Algumas vidas que se associam a outras que se pronunciam. Este texto é uma colagem. Aliás, leia esse texto com os contratempos e os infratempos e as síncopes dos tempos de um processo não linear, caótico e assustador da instituição da merda patriarcal. Heterocapitalista, machista, racista e misógina. Ou ao invés de merda, podemos dizer instituição do 'pão com leite condensado' heteropatriarcal. A final, a mais recente instituição assim o é, também. A nova versão de 'pão com leite condensado' (pra quem não sabe, um bando de homens se masturbando ao redor de um punhado de pães...) segue o golpe que retirou Dilma do poder, e segue o golpe a cada dia. (...)"


2017



Relacionados



 

Agentes

Compartilhe na rede

Comentários

Adicionar Comentário

Se logue ou se registre para poder enviar comentários